Após reforma, indústria da região gera 650 empregos em oito meses

0
769
Setor industrial. Região do Vale do Paraíba tem saldo positivo
na indústria após reforma trabalhista - Foto: Divulgação

Nível de emprego industrial na RMVale saltou de 99.571 vagas em novembro do ano passado para 100.221 em junho de 2018

As indústrias do Vale do Paraíba geraram 650 postos de trabalho após a aprovação da reforma trabalhista, em novembro do ano passado. As novas regras flexibilizaram a legislação para aumentar a contratação de trabalhadores.

O nível de emprego industrial na RMVale saltou de 99.571 vagas em novembro do ano passado para 100.221 em junho deste ano, aumento de 0,65%. O levantamento foi feito com dados oficiais do Ciesp (Centro das Indústrias do Estado de São Paulo).

A regional de Taubaté do Ciesp, formada por 28 municípios, foi a que mais se beneficiou da reforma trabalhista. As indústrias geraram 1.100 novos empregos desde novembro do ano passado, passando de 41.098 para 42.198 postos de trabalho no período, crescimento de 2,68%.

As outras duas regionais perderam vagas no período pós-reforma. Com três municípios, a de Jacareí caiu 1,06%, perdendo 100 empregos: 9.418 em junho deste ano contra 9.318, no mês de novembro do ano passado.

A regional de São José, que contempla oito cidades, recuou 0,71% no mesmo período, perdendo 350 postos de trabalho na indústria. Logo após a reforma, as empresas empregavam 49.056 trabalhadores, número que caiu para 48.706 em junho deste ano.

Na avaliação do economista Edson Trajano, do Nupes (Núcleo de Pesquisas Econômico-Sociais), órgão da Unitau (Universidade de Taubaté), o parque industrial do Vale é desenvolvido, mas tem ainda espaço parta crescer e gerar mais empregos.

“As indústrias da região precisam fabricar mais, principalmente carros, peças, máquinas e equipamentos. Mesmo nos segmentos de petróleo e químico, importamos mais do exterior do que produzimos”.

CRISE.

Desde que a crise econômica se instalou, no início de 2014, as indústrias do Vale acumulam a perda de 23,2 mil empregos. O saldo caiu de 123.451 postos de trabalho em janeiro de 2014 para 100.221, em junho deste ano, uma retração de 18,82%..

Fonte: O VALE / Xandu Alves