Critérios desafiam cidades do Vale e põe flexibilização em xeque

0
3457

Doze cidades do Vale do Paraíba não atingiram todos os critérios do governo estadual para permitir a flexibilização, ao menos no primeiro momento, após 31 de maio. O documento traz dados de 25 de maio de todas as cidades da região.

As informações constam do plano de reabertura da RMVale feito pelos municípios da região com apoio da Secretaria Estadual de Infraestrutura e Meio Ambiente.

O plano obtido por OVALE teve a autenticidade confirmada pela pasta, mas ainda não é o definitivo. É o documento utilizado no debate inicial acerca da reabertura no Vale, com pontos que poderão sofrer alterações.

O estudo atualizado será apresentado nesta quarta-feira (27), pelo governador João Doria (PSDB).

De acordo com os dados, 10 cidades têm taxa de casos confirmados de Covid-19 por mil habitantes acima de 0,5, o que as coloca no grupo vermelho, em pior situação para o enfrentamento da pandemia. Há ainda o grupo verde e o amarelo.

Estão no grupo vermelho para a taxa as cidades de São Sebastião (3 casos por mil habitantes), Igaratá (2,85), Ilhabela (1,14), Caraguatatuba (1,10), Santo Antônio do Pinhal (1,03), São José dos Campos (0,97), Jambeiro (0,77), Jacareí (0,68), Santa Branca (0,61) e Ubatuba (0,55).

Outras sete cidades estão no grupo amarelo, com taxa maior do que 0,25 casos por mil habitantes: Campos do Jordão (0,43), Lorena (0,41), Caçapava (0,37), Paraibuna (0,33), Bananal (0,28) e Lavrinhas (0,28) e Taubaté (0,26).

Lorena e Caçapava ainda entraram no grupo vermelho para o critério de ocupação de leitos de UTI (Unidade de Terapia Intensiva), com 90% e 75%, respectivamente.

Nesse mesmo critério, oito municípios estão no grupo amarelo: Pindamonhangaba (42%), São José dos Campos (28%), Caraguatatuba (26%), Cruzeiro (20%), São Sebastião (18%), Guaratinguetá (18%), Jacareí (14%) e Taubaté (13%).

Dezenove cidades da região foram enquadradas no grupo verde para a taxa de casos de Covid-19. Nenhuma delas tem leito de UTI para enfrentar a doença, o que inviabilizou a avaliação desse critério.

Fonte: Jornal “O Vale”
Foto: Sergio Nascimento