Dr. Bruno alerta: Nada de escolher qualquer ração para o seu gato!

0
3063

A alimentação adequada é super importante para a saúde e desenvolvimento do seu gato. A ração – seca ou úmida – contém todos os nutrientes essenciais para o seu desenvolvimento, mas existem algumas diferenças entre elas. Veja abaixo:

Ração seca: justamente por ser seca, ela tem maior durabilidade enquanto exposta. Por isso, donos que passam o dia fora podem deixar a ração no potinho do gato sem se preocupar se vai estragar se o gato não comer.

Ração úmida: gatos são animais que não têm o hábito de beber muita água e a ração úmida é ideal para aumentar a hidratação dos felinos. O cuidado que os donos precisam ter com esse tipo de ração é garantir que eles vão comer na hora em que for colocado no pote. Caso não comam, a ração deve ser guardada na geladeira por até 24 horas.

Vacinas para gatos filhotes

A partir dos 60 dias, os anticorpos transmitidos das mães para os filhotes começam a diminuir e os gatos precisam tomar a primeira dose da V4 (quádrupla) ou V5 (quíntupla). A V4 inclui proteção contra Rinotraqueíte, Calicivirose, Clamidiose e Panleucopenia; e a quíntupla é mais completa com a proteção contra todas essas e mais a Leucemia Felina/FeLV. Já a vacina contra raiva, a primeira dose é dada a partir do 4º mês de vida do gato.

Vacina para panleucopenia: é uma doença viral que tem alto índice de contágio e pode ser fatal para os gatos mais novos. Gatos que não são vacinados e contraem o vírus têm uma brusca queda na defesa imunológica causada pela diminuição dos dos glóbulos brancos.

Vacina para rinotraqueíte: essa doença é causada pelo herpesvírus e pode causar conjuntivite, febre, diminuição do apetite e em casos mais avançados e que não foram tratados a tempo pode levar o filhote a óbito.

Vacina para calicivirose: essa doença atinge o sistema respiratório e pode ter seus sintomas confundidos com a rinotraqueíte. A diferença é que a calicivirose pode causar úlceras na boca do gato. Os casos que não tratados na fase inicial podem causar a morte do animal.

Vacina para clamidiose: a clamidiose é causada por uma bactéria que atinge a parte frontal do globo ocular e, caso não seja tratada na fase inicial, pode atingir o sistema respiratório. Os sintomas mais comuns são conjuntivite, secreção persistente nos olhos, corrimento nasal, dificuldade de respiração, febre, pneumonia e falta de apetite.

Vacina para FeLV  ou leucemia felina: gatos infectados podem transmitir para os animais saudáveis de forma direta ou indireta. Um animal saudável pode contrair a doença apenas dividindo o pote de água ou ração com um animal infectado. Apesar de ter controle, os donos que estejam pensando em adotar um novo gatinho precisam saber se o novo gatinho da família tem a doença. Os gatos que possuem a doença ficam mais vulneráveis a doenças infecciosas, desnutrição e problemas reprodutivos.

Vacina para raiva: como a raiva é uma doença considerada zoonose (alta fatalidade e contaminação) que não tem cura e é transmissível a humanos. Os principais sintomas são: alterações de comportamento, falta de apetite, fotofobia (incômodo com luz forte) e automutilação. Além de ser transmissível para o ser humano, ela pode levar seu animal a ser sacrificado. A primeira dose é dada a partir dos 4 meses e deve ser reforçada anualmente.