Dr. Bruno fala sobre: LEPTOSPIROSE

0
4553

O que é leptospirose?

A leptospirose é uma doença de caráter infeccioso que é causada por uma bactéria, a Leptospira interrogans.

Essa bactéria vive nos rins de diversos animais (com destaque para ratos e roedores, no geral, sendo que cães também podem tê-la), sem causar a eles nenhum dano ou sintoma. Ela acaba sendo eliminada na urina desses animais e é o contato com essa secreção que faz a transmissão da leptospirose para os seres humanos.

Bastante resistente, a bactéria da leptospirose consegue ficar viva por mais de 6 meses em ambientes úmidos, por isso é importante evitar o contato com água parada, como aquela que surge durante enchentes e alagamentos. É por esse motivo que os casos de leptospirose tendem a aumentar durante o verão, quando a chuva é mais frequente.

A prevenção da leptospirose é feita evitando-se ao máximo o contato com essas águas e com a urina de animais que pode estar presente em locais como as latas de bebidas.

Quais são os sintomas de leptospirose?

Entre os sintomas de leptospirose, podemos destacar:

– Febre alta repentina;
– Dor de cabeça;
– Dor na panturrilha;
– Dor no corpo;
– Olhos vermelhos;
– Mal-estar;
– Calafrios;
– Manchas vermelhas pelo corpo;
– Meningite;
– Desidratação;
– Diarreia;
– Tosse e
– Náuseas e vômitos.

Esses sintomas costumam durar de quatro a cinco dias, sendo que a leptospirose pode apresentar complicações, chamadas também de Síndrome de Weil. Nela, o paciente apresenta, além dos sintomas apresentados acima, também a icterícia, problemas renais e hepáticos, sangramentos e coma.
Como é o diagnóstico da leptospirose?

Os sintomas da leptospirose são parecidos com o de outras doenças tropicais, como a dengue e a febre amarela.

Para confirmar o diagnóstico de leptospirose podem ser feitos exames de sangue que fazem a procura da bactéria que causa a leptospirose na amostra oferecida pelo paciente.

Como é o tratamento da leptospirose?

O tratamento da leptospirose é feito por meio de antibióticos que combatem a proliferação da bactéria dentro do indivíduo infectado pela doença. Alguns medicamentos de uso comum, como o ácido acetilsalicílico, devem ser evitados porque aumentam o risco de complicações da leptospirose.

As orientações médicas devem ser seguidas e o paciente deve manter-se bem hidratado durante todo o período de tratamento da leptospirose.