Em três meses, RMVale notifica 7.000 casos de dengue e tem 802 confirmados

0
3307

Dos 39 municípios da região, 37 relataram ao menos um paciente com suspeita de dengue entre janeiro e março deste ano, com 7.087 casos notificados; Arapeí e Santo Antônio do Pinhal foram as únicas que nada registraram

A dengue chegou com tudo na RMVale: 95% das cidades notificaram casos da doença no primeiro trimestre deste ano, segundo a Secretaria Estadual da Saúde.

Das 39 cidades da região, 37 relataram ao menos um paciente com suspeita de dengue entre janeiro e março deste ano, notificando 7.087 casos da doença no período — Arapeí e Santo Antônio do Pinhal foram as únicas que nada registraram.

Do total de notificações, 802 casos (11,32%) foram confirmados após exames de saúde.

Estes casos foram registrados em 22 municípios, 56,41% do total da região, sendo que 741 deles (92,39% do total de confirmações) são de pacientes que contraíram a doença na própria cidade (autóctones) e 7,61% de importados.

Em todo o estado de São Paulo, no primeiro trimestre, a dengue já atingiu 94% dos municípios paulistas, com 606 cidades de um total de 645 já tendo notificado ao menos um caso da doença.

“Nosso objetivo é reduzir ao máximo as chances de proliferação do Aedes aegypti, contribuindo para minimizar os riscos de infecção pelos vírus da dengue, zika e chikungunya”, disse José Henrique Germann, secretário de Estado da Saúde, que intensificou o trabalho de prevenção em todo o estado.

CIDADES.

Quatro cidades do Vale concentram 75% dos casos confirmados na região, somando 603 registros.

A campeã é Ubatuba, com 183 casos confirmados no primeiro trimestre de um total de 664 notificações.

São José dos Campos aparece em segundo, com 174 casos confirmados e 1.424 notificações, também a segunda maior quantidade da região.

Caraguatatuba apurou 988 notificações da doença e 117 casos confirmados nos três primeiros meses. Já São Sebastião, por sua vez, tem 2.227 notificações e confirmou 102 pacientes com dengue no município.

Cidades investem em busca de criadouro e na conscientização para conter a doença

A Prefeitura de São José dos Campos iniciou a segunda ADL (Avaliação de Densidade Larvária) do ano, com vistoria de 17.792 imóveis até 30 de abril. Meta é checar os níveis de infestação de larvas do mosquito Aedes aegypti. “Com base nos dados, serão definidas as melhores formas de combate às doenças”, informou.

Com aumento de casos confirmados (25), a Secretaria de Saúde de Taubaté disse que o “apoio e conscientização da população são essenciais neste momento, já que cabe às famílias o combate aos criadouros”.

Em Jacareí, a Diretoria de Vigilância à Saúde tem promovido “ações descentralizadas, por meio da distribuição de agentes de combate às endemias em Unidades de Saúde, de forma a territorializar o atendimento”.

Macaque in the trees
Dengue
Fonte: O VALE / Xandu Alves@xandualves10 | @xandualves10