IR 2019: Receita paga R$ 68 milhões a 60 mil contribuintes do Vale no 4º lote de restituições

0
3459

A Receita Federal paga nesta segunda-feira (16) as restituições do quarto lote do Imposto de Renda 2019. O lote inclui também restituições residuais dos exercícios de 2008 a 2018.

Na região, serão pagos pelo fisco R$ 68,6 milhões a cerca de 60 mil contribuintes. O crédito será corrigido em 3,08%, de acordo com a remuneração da Selic entre maio e setembro deste ano.

CONSULTE AQUI para verificar se você está incluído no lote para restituição.

A delegacia da Receita em São José dos Campos, que também contempla outras 14 cidades, liberou o valor de R$ 45,2 milhões em restituições para 38,3 mil pessoas.

Já na regional de Taubaté, que cobre mais de 30 municípios, o número de contribuintes é de 21,5 mil pessoas, o que representa R$ 23,4 milhões em restituições.

É importante checar se a declaração está com informações coerentes com o banco de dados da Receita e se a declaração foi processada para não ter pendências e cair na malha fina.

As consultas podem ser feitas pelo site da Receita Federal, apenas com o número do CPF. Há, ainda o aplicativo para tablets e smartphones que facilita consulta às declarações do IRPF e situação cadastral no CPF, diretamente nas bases de dados da Receita Federal.

Veja as datas de pagamentos dos lotes de restituições deste ano:

  • 5º lote, em 15 de outubro de 2019;
  • 6º lote, em 18 de novembro de 2019;
  • 7º lote, em 16 de dezembro de 2019.

Malha fina

O Fisco lembra que é possível checar se a declaração foi processada. E se ela estiver já na fila de pagamentos, as informações prestadas estão coerentes com o banco de dados da Receita – indicando que a declaração, a princípio, não tem pendências (a Receita Federal tem até cinco anos para pedir esclarecimentos sobre as declarações).

A verificação pode ser feita pelo serviço Meu Imposto de Renda, da Receita Federal. Para isso, é preciso gerar um código de acesso, a partir do número do CPF, data de nascimento e recibos de entrega das duas últimas declarações.

Fonte: G1