Justiça aceita transferência de Edinho para o regime semiaberto

0
651
Edinho cumpre pena em Tremembé desde julho de 2017
Arquivo

Filho de Pelé está detido na Penitenciária II, em Tremembé

O Tribunal de Justiça de São Paulo autorizou o progressão da pena do ex-goleiro Edson Cholbi Nascimento, o Edinho, do regime fechado para o regime semiaberto. O filho do ‘Rei’ Pelé cumpre pena de 12 anos dez meses e 15 dias na Penitenciária II, em Tremembé, por lavagem de dinheiro e associação ao tráfico.

Mesmo com progressão da pena confirmada, ainda não existe uma data para que a decisão seja cumprida.

O pedido para que o ex-goleiro, com passagens por  Santos e Ponte Preta, fosse para o regime semiaberto foi feito há vinte dias pelo advgado Eugênio Malavasi. A decisão da juíza Sueli Zeraik de Oliveira Armani, de São José dos Campos foi anunciada na última quinta-feira (7).
Mesmo com o parecer contrário do Ministério Público quanto à progressão, a juíza considerou que Edinho tem “uma conduta considerada como boa pelo Serviço de Segurança e Disciplina do estabelecimento em que ele cumpre pena, não havendo registro de nenhuma falta disciplinar por ele cometida.”
Na decisão, a juíza também considera que o ex-goleiro “se apresenta mais amadurecido, tendendo a melhoria de sua vida longe da criminalidade.”

Edinho está detido na Penitenciária II de Tremembé desde julho de 2017, quando foi transferido da cadeia anexa ao 5º Distrito Policial de Santos. Em fevereiro deste ano, ele teve o pedido de habeas corpus negado pelo ministro do STF, Gilmar Mendes.

Futuro

No regime semiaberto, Edinho poderá sair durante o dia para trabalhar e terá que voltar ao presídio para passar a noite. Ao Meon, o advogado do ex-goleiro afirmou que ainda não sabe se ele pretende continuar trabalhando com o futebol.
“Ele não tem nada certo. Ainda não sabemos se ele vai ficar em Tremembé mesmo ou se será transferido. Ainda é muito cedo para dizer alguma coisa. Vamos com um passo de cada vez. Conseguimos essa progressão e depois vamos ver o próximo passo”, explicou Malavasi, que ainda não sabe quando Edinho poderá ir para o regime semiaberto.

O último clube em que Edinho trabalhou foi no Tricordiano, de Três Corações (MG), cidade natal de Pelé, em 2017. Como treinador, ele foi demitido após duas derrotas em dois jogos pelo Campeonato Mineiro. Antes disso, ele trabalhou no Água Santa, de Diadema (SP), em 2016.

O caso

Preso provisoriamente em junho de 2005 durante a Operação Indra, do Departamento de Investigações sobre Narcóticos (Denarc) – acusado de ligação com a quadrilha chefiada pelo traficante Ronaldo Duarte Barsotti de Freitas, o Nadinho -, ficou seis meses na cadeia e foi solto com habeas corpus concedido pelo STF.

Foi condenado, em maio de 2014, a pena de 33 anos e quatro meses de reclusão, mas permaneceu em liberdade por ser possível a oferta de recursos. No dia 23 de fevereiro de 2017, a 14.ª Câmara de Direito Criminal do TJ-SP confirmou a condenação, mas reduziu a pena para 12 anos e 10 meses, em regime fechado. No dia seguinte, Edinho se apresentou no 5.º DP de Santos. Horas antes, a defesa já havia entrado com um habeas corpus no STJ e o ex-goleiro foi solto em 2 de março. No dia 31 de março, o TJ-SP rejeitou mais uma vez os embargos da defesa e determinou a prisão do réu.

Fonte: Meon