Pesquisa do ITA aponta que sem isolamento social, RMVale teria colapso por conta do coronavírus na primeira quinzena de maio

0
3738

A primeira sub-região que já teria sofrido o colapso sem nenhuma medida de isolamento seria o Litoral Norte

Um estudo desenvolvido por pesquisadores do ITA (Instituto Tecnológico de Aeronáutica) apontam dados alarmantes sobre os números do Covid19 na região. Caso não houvesse nenhum isolamento social, até outubro 130 mil pessoas seriam infectadas pela Covid-19 na RMVale  (Região Metropolitana do Vale do Paraíba e Litoral Norte).

De acordo com os dados da pesquisa, com o isolamento social adequado, incluindo com a prorrogação imposta pelo governo do Estado, em outubro a região atingirá 4,5 mil casos. Portanto, 125,5 mil casos da doença podem ser evitados com medidas básicas de isolamento.

A pesquisa também apontou quando o colapso da rede de saúde aconteceria em cada sub-região. A primeira sub-região que já teria sofrido o colapso sem nenhuma medida de isolamento seria o Litoral Norte, que colapsaria em 3 de maio.

A segunda sub-região a entrar em colapso seria a mais populosa, a de São José dos Campos em 12 de maio. A sub-região de Guaratiguetá chegaria ao colapso em 17 de maio e, por último a de Taubaté, em 13 de junho.

Os números aconteceriam apenas se nenhuma medida que restringe a circulação de pessoas fosse tomada desde meados de março. O motivo para o colapso é, além do alto número de infectados na cidade, os casos “importados”, quando pacientes que foram infectados em um lugar são internados em outra cidade.

O levantamento é baseada no avanço da doença na região e também no país, além dos níveis de isolamento nas cidades da região. No estudo, foi levado em conta as 39 cidades que compõe a RMVale.

Até a manhã deste sábado (9), a região possui 876 infectados e 45 mortes devido ao novo coronavírus. 

Divulgação/Agência Brasil