Sindicatos fazem protestos contra a reforma da Previdência na região

0
662

Trabalhadores da GM durante paralisação nesta segunda (19)

Sindmetal

Atos atrasam entrada de funcionários da GM, Volks, Chery e outras

Os protestos contra a Reforma da Previdência que se estendem por diferentes cidades nesta segunda-feira (19) também foram aderidos pelos Sindicatos dos Metalúrgicos de São José dos Campos e Taubaté que atrasaram a entrada dos funcionários de seis empresas da região e promoveram estado de greve com os colaboradores da unidade da Ford.

“Hoje é um dia de protestos, porque queremos encerrar de uma vez por todas com esse projeto. Muitas pessoas estão revoltadas e indignadas, por essa razão que tivemos essa adesão de 100% dos funcionários do primeiro turno de todas as empresas. Fizemos paralização na porta da GM, Hitachi, Fameccanica, Eaton e Chery, mas seguiremos com atos durante todo o dia”, declara MAntônio Ferreira de Barros, o Macapá, presidente do Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos e região.

Em Taubaté, as manifestações ocorrem apenas em frente das unidades da Ford e da Volkswagem na entrada dos trabalhadores do primeiro turno. Segundo o sindicato, a adesão foi total, atrasando em cerca de duas horas o início das atividades da Ford e permanecendo a produção da Volks em greve, parada durante toda a manhã.

“Nossa maior preocupação é a questão da Reforma de Previdência e as mediadas que estão sendo tomadas pelo Governo, como a intervenção militar, que vai neutralizar a possibilidade de movimentação e mobilização da bancada contrária, como dos próprios trabalhadores. Uma vez suspensa às atividades políticas, os deputados e senadores vão ganhar sentados em casa ou viajando, sem trabalhar. A ordem deles agora é da chibata, de forma militar, porrada e cadeia, então a questão é muito mais que previdência é a democracia”, comenta o presidente do Sindmetau, Claudio Batista, que deve seguir com outras assembleias e atos nos próximos turnos desta segunda em frente das fábricas.

Em São José, está programado para que a partir das 10h, sindicatos, entidades, grupos e pessoas contrárias a Reforma da Previdência, se mobilizem até a Praça Afonso Pena, no centro de São José dos Campos, para um protesto geral, semelhante aos realizados em 2017 durante os dias de Greve Geral.

Trabalhadores da Volks durante paralisação nesta segunda-feira (Sindmetau)

Trabalhadores da Volkswagen durante paralisação nesta segunda (19)

Sindmetau

Fonte: Meon / RMVale / Marcus Alvarenga